30 de ago de 2007

Borboletas coloridas

Voa borboleta

E as borboletas negras com pontos cinzas
Continuam a voar livres na minha janela
Mas agora, também aparecem as amarelas
Com tons de felicidade e detalhes de ousadia

Voa borboleta! Voa!
Colora o céu com suas cores em mosaico
Voa borboleta! Voa!
Dê algum sentido para as flores no meu jardim

Voa borboleta! Voa!
Sinta-se livre para pousar em qualquer canto
Voa borboleta! Voa!
Não se importe com toda essa poluição ao redor das asas
Voa borboleta! Voa!


28 de ago de 2007

Apartamento com vista pro mar...

Quem me dera

Quem me dera um dia, abrir a janela
E sentir no rosto o vento litoral
Depois de ter curtido os seus dedos,
Admirado o charme da sua cara de sono
E seu cabelo amassado do amanhecer

Quem me dera pisar na areia
E ficar ao seu lado esperando a maré subir
__Senta e espera um pouco!
Daqui a pouco a lua vem!

Joaquina, Jurerê, Ingleses, Solidão,
Canasvieiras, Praia Mole, Daniela, Conceição...
Escolhe você! Pra mim tanto faz...

Até agora é tudo intenção
Você assim e eu sem mim, no meu lugar

Mas afinal, o que seus olhos pedem?


Como eu escrevo...

A comédia triste

Ontem eu escrevi uma comédia triste
Que falava de amor... e de dor
Um faz-me-rir sem graça nenhuma
Tumulto de risadas sem razão
Desabrochar de um excesso de desatenção


E já escrevi um romance sem final feliz

Não haviam estrelas, nem lindo pôr-do-sol

Tampouco houve beijo apaixonado no final

Mas restaram boas lembranças

Dos olhos que já brilharam de contento


E eu escrevo ficções verdadeiras,
Usando frases pensadas e retóricas

Que as vezes não representam nada p'ra ninguém

Além de mim mesmo... Quanto narcizismo!

Mas talvez seja muito mais limitação


Tudo isso porque escrevo sobre a vida

Sobre a minha vida... e a sua

E a vida real nao é como nos livros d'infância

Nós respiramos de verdade, sonhamos...

Choramos... e choramos... e rimos...


De uma comédia triste sem final feliz.

27 de ago de 2007

1,2,3... Testando. 1,2,3...

Amanhã que não quer chegar

Nada como um dia após o
Amanhã que não quer chegar
Nada como uma noite tão
Perfeita que nada aconteceu
Nada em volta... Tudo em volta...
Cada minuto, meu pensamento
Muda de lugar e me leva
Me leva junto ser dizer nada
Me leva junto sem fazer força
E tudo volta... volta e vai de novo
Celebrando assim o mesmo sonho novo
Mas jura... jura que isso passa
E reza por mim às 6 da tarde
Porque eu sou agnóstico demais
E não tenho ânimo pra me ajoelhar
Mas jura por Deus que isso passa
Porque acredito mais em você
Quando usa o nome dele.