11 de jan de 2009

Horizonte

Azul

Eu não sou de usar
Palavra empolada pra me expressar
Prefiro fugir dos maneirismos mil
Do que tentar enfeitar o que não sei dizer
E eu que tinha medo de ser trivial
Agora só escrevo pra descalçar o mal
Aquele mal que outrora andara por aqui
Já nem vi, já correu, já partiu
Se for voltar, que seja amanhã ou depois,
Pois agora quero descansar
Quero uma volúpia casual, quero o mar
Um abraço de primo, comida de vó
Quero um "oi" e, talvez, o sexo
De uma donzela qualquer,
Pendões de vitória, ninfas de manhã,
Brisas fortuitas, maré cheia, fui embora
Sujei de humano o grande lago azul

Deixa soar a lira dos acasos
E o eco dos meus passos
Vai alcançar o horizonte azul
Deixa eu fitar o horizonte azul
Quero gozar o horizonte azul
E eu vou lá

Eu não sou de usar
Palavra empolada pra me expressar
Prefiro fugir dos maneirismos mil
Do que tentar enfeitar o que não sei dizer
Me cansei e já nem sei dizer
Por que há de ser o norte o sul?
Por que há de ser minha ânsia vã
Se acordei com minha voz sã?
O barulho escuro da chuva vai repousar

Deixa soar a lira dos acasos
E o eco dos meus passos
Vai alcançar o horizonte azul
Deixa eu fitar o horizonte azul
Quero gozar o horizonte azul
E eu vou lá

Quero me perder nesse azul
Quero me prender nesse azul
E eu vou lá.

3 de jan de 2009

Coletivo

Para aqueles que por algum motivo acompanham este blog ou passam por aqui aleatoriamente, este é um post diferente. Dessa vez, posto para indicar um blog coletivo na qual tive o prazer de ser convidado a participar.

São 15 pessoas postando nos dias ímpares do mês sobre poesia, prosa, artes plásticas, ilustração, vídeo, eventos, discussões, música, animação, etc. Só pra constar, meu dia de postagem é dia 3 e hoje foi meu primeiro post.

Que venham outros e que venham os outros!

O link para aqueles que quiserem conhecer o projeto é:
http://manazinabre.blogspot.com/

Abraço a todos e feliz 2009.