9 de ago de 2011

Mais um poema que deixei de escrever


O poema que eu deixei de escrever,
Falaria de você e dessa semana que passou
Falaria das dúvidas e das surpresas
Iria contradizer cada palavra
Que as nossas mãos digitaram
E até as que recusamos a escrever
Cada tecla, cada clique, cada espaço

O poema que eu deixei de escrever,
Seria na verdade uma ameaça
Calaria minha boca, a mordaça
Não seria uma desgraça por não ser
Os meus versos talvez fossem sem querer,
Uma ofensa à sua crença, a sua discricão
Essa que eu também acreditava ter

O poema que eu deixei de escrever,
Não seria de valia nenhuma
Não mudaria sua vida
Talvez, só confundisse essa paz
Então, rasquei, joguei fora, deixei de escrever
Deixei palavra para trás, sem termi

5 comentários:

Joyce Rodrigues disse...

Oi Leo! Que surpresa um homem comentando em meu blog! Prazer em conhece-lo, tenho um prazer enorme em ler poemas então não será surpresa que eu passe sempre por aqui.
Um beijo, Joyce

@lgr2k9 disse...

O qu significa "sem termi"? Não entendi...

Claudinha disse...

Bom saber q continua postando teus pensamentos... Sempre bom lê-los...

MULHER disse...

O não dizer, ou o não discurso revela mais, por vezes, do que se declara... talvez nos doa mais ocultar as palavras, mas também atinge e toca mais no outro. Pode acreditar. Obrigada pelo deleite que seus versos trazem a minha alma...

Elisa Cunha disse...

Poemas servem para nada além de jogar tudo pra fora...