20 de jan de 2011

Fé passageira

Chega de falar de amor, de romance
Já que a musa se foi, vou mudar de assunto
Vou falar de devaneios, mundanices,
Falar de alegrias, tudo isso junto

Garanto, prova de amor maior não há
Abrir mão do amor pro outro ser feliz
Eu sei, não foi isso que eu quis,
Mas a vida tem lá os seus anseios

De repente, o vento passa e leva tudo embora
Me deixa aqui sem teto, sem parede, sem chão
Outrora a fé é passageira, outrora não

Calço o sapato, visto a roupa nova e vou embora
Pra onde, ainda não sei, isso pouco importa
Junto os cacos, fecho a janela, tranco a porta.

4 comentários:

Anônimo disse...

nao perco as esperanças de te ler cheio de esperanças...

Simone disse...

Porta,maçaneta,chave
Escada ou elevador?
Ainda é preciso refletir
Escada
Fim do percurso e...
Vida Nova ponto
O Sol brilha a chuva já parou
O ciclo segue inspirando e expirando
Como tem de ser.

Leo Curcino disse...

a esperança agora é simplesmente ser feliz por ser. simples assim. ponto.

Letícia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.